Descubra Portugal


Descubra Portugal

O povo português é, essencialmente, cosmopolita. Nunca um verdadeiro português foi português: foi sempre tudo.

Fernando Pessoa


Com um clima ameno, mais de 300 dias de sol por ano e 850 km de praias maravilhosas banhadas pelo oceano Atlântico fazem de Portugal um destino ideal para qualquer altura do ano e a poucas horas de voo de qualquer capital europeia.

Em Portugal encontrará uma grande diversidade de paisagens a curta distância, muitas actividades de desporto e lazer, um património cultural único, onde a tradição e a modernidade se misturam e fazem uma combinação única.

A música, a tradição gastronómica, os vinhos e a simpatia dos portugueses fazem parte duma oferta de serviços turísticos de qualidade que deu a Portugal o reconhecimento com inúmeros prémios internacionais.

O Norte de Portugal


Praia de Moledo, concelho de Caminha, Portugal

Portugal nasceu no norte. Foi na região Porto e Norte que os portugueses começaram enquanto povo e nação. Aqui aprendemos o valor da diferença mas também a complementaridade das culturas.

Porto, cidade Património Mundial, é a grande porta de entrada e pode ser ponto de partida para uma viagem pela diversidade natural e cultural da região. É conhecido pelo vinho que daqui parte para todo o mundo, mas também pela Escola de Arquitetura, donde saíram os nomes de Álvaro Siza Vieira e Souto de Moura, ambos Prémios Pritzker. E ainda por um património que sabe combinar a antiguidade de igrejas e monumentos, como a  ou a Igreja de S. Francisco, com a contemporaneidade de edifícios marcantes como a Casa da Música, o Museu de Serralves e outros.

O rio Douro atravessa a região. Entra em Portugal apertado entre as ravinas e montanhas do interior  para percorrer toda a paisagem do Património Mundial onde se cultivam os vinhos do Porto e do Douro. Ali se cruza o vinho que segue até às Caves de Gaia e os cruzeiros que visitam a região.

Porto, Portugal

Nesta região de montanhas e parques naturais, o património espalha-se por castelos, como o de Guimarães, ou por santuários e igrejas que no verão são palco de romarias. Ao lado de ermidas rurais encontramos o barroco do Norte de Portugal feito de granito e talha dourada.  Em cidades que souberam preservar a escala humana, como Viana do CasteloBragaLamegoChaves ou Vila Real, ou em solares e casas senhoriais, encontramos o português mais autêntico, aquele que gosta genuinamente de receber, de partilhar a sua mesa  e as tradições. No Porto e Norte de Portugal vive-se de forma natural a alegria e a gratidão por tudo o que temos e somos.

O Centro de Portugal

No interior, maciços montanhosos e aldeias tradicionais. Junto ao mar, povoações piscatórias e praias cosmopolitas com os desportos náuticos a marcar o ritmo dos dias. E por todo o lado o património, milenar, exibe orgulhosamente a história da região. 

Aldeias de Xisto, Coimbra

Alguns destes lugares têm tanta importância para a Humanidade que foram incluídos pela UNESCO na lista de património mundial. É o caso dos Mosteiros de Alcobaça e da Batalha, do Convento de Cristo em Tomar e da Universidade de Coimbra. 

Mas há outros com características únicas que vale a pena descobrir. Por exemplo as Aldeias Históricas e os castelos que defenderam as fronteiras da nação. As Aldeias do Xisto e as vilas de casas brancas, como Óbidos, um tesouro entre muralhas. E as cidades, onde a modernidade se alia à tradição – Coimbra dos estudantes, LeiriaAveiro, entre a Ria e o Mar, e ViseuGuarda Castelo Branco, em que a arquitetura da pedra mantém traços de um passado imemorial.

Das montanhas destaca-se a Serra da Estrela, com paisagens a perder de vista e lagoas glaciares. Ou as Serras da Lousã, Açor e Caramulo, onde os trilhos pedestres e de bicicleta abrem caminho à descoberta da natureza. Mas aqui também se pode experimentar escalada, rappel, rafting ou canoagem, tal como no Geoparque Naturtejo, território preservado onde convivem várias espécies de aves e animais. 

As águas cristalinas que brotam das nascentes termais equilibram corpo e alma. E as praias! Fluviais enquadradas por florestas, ou de mar aberto e batido no litoral atlântico, são certezas de frescura nos dias quentes de verão. E são também spots bem conhecidos dos surfistas de todo o mundo, que encontram ondas perfeitas em Peniche, e mesmo gigantescas na Nazaré

Para confortar o estômago há sabores para todos os paladares. Queijos e enchidos, caldeiradas de peixe e leitão assado, ou o mel e os doces conventuais. Já os vinhos das regiões demarcadas elevam o espírito com distinção. São o produto dos saberes destas gentes, genuínas e acolhedoras que recebem o visitante com o que têm de melhor.

Região de Lisboa


Lisboa é a capital de Portugal e polo duma região multifacetada que apela a diferentes gostos e sentidos.

Praça do Comércio, Lisboa

Numa cidade que foi recebendo muitas e diferentes culturas vindas de longínquas paragens ao longo do tempo, ainda hoje se sente um respirar de aldeia em cada bairro histórico. Podemos percorrer a quadrícula de ruas da Baixa pombalina que se abre ao Tejo na Praça do Comércio e, seguindo o rio, conhecer alguns dos lugares mais bonitos da cidade: a zona monumental de Belém com monumentos do Património Mundial, bairros medievais, e também zonas de lazer mais recentes ou contemporâneas, como o Parque das Nações ou as Docas.

Continuando junto à foz do rio vamos perceber porque se diz que Lisboa é o centro dum vasto resort. Pela estrada marginal vamos conhecer praias e estâncias balneares que combinam villas e hotéis do início do séc. XX com marinas, esplanadas e modernos equipamentos desportivos, com particular destaque para o golfe e a náutica de recreio. Seguindo a costa vamos encontrar spots de surf de renome mundial, mas também os palácios espalhados pela paisagem cultural de Sintra, Património Mundial. 

Tanto a norte como o a sul da capital, a grande variedade de paisagens e património fica sempre a curta distância. Com praiasparques naturaispercursos culturais e alojamento para todos os gostos, é difícil escapar à região de Lisboa numa visita a Portugal.


Alentejo

As planícies a perder de vista começam a desenrolar-se junto ao Tejo. Se ao norte o ritmo é marcado pelo verde da campina, mais para sul a paisagem combina com sol, calor e um ritmo compassado. É o Alentejo.

Vila Nova de Milfontes, Alentejo

A norte pastam cavalos na lezíria; no vasto interior, a planura imensa, searas louras ondulando ao vento; no litoral praias selvagens, duma beleza agreste e inexplorada.

A amplitude da paisagem é entrecortada por sobreiros ou oliveiras que resistem ao tempo. Santarém é um miradouro natural sobre a imensidão do Tejo. Aqui e ali ergue-se um recinto muralhado, como Marvão ou Monsaraz, ou a antiguidade duma anta a lembrar a magia do lugar. Nos montes, casas térreas e brancas coroam pequenas elevações, os castelos evocam lutas e conquistas, e os pátios e jardins atestam influências árabes, que moldaram povo e natureza.

No Alentejo, a força da terra marca o tempo e cidades como Elvas, classificada Património Mundial pela Unesco, mostram a tenacidade das gentes.

Talvez por isso a cultura e a espiritualidade ganhem aqui um caráter particular. Basta conhecer Évora para perceber por que razão foi há muito classificada Património Mundial. Admiramos o templo romano e algumas das suas igrejas, como a de S. Francisco com a célebre Capela dos Ossos. Ou a catedral que marca a memória e identidade como todas as outras do Alentejo, em Santarém, Portalegre, Elvas e Beja. Memórias do passado são também o que perdura nas antigas judiarias, especialmente em Castelo de Vide.

Mas não podemos passar para norte ou para sul sem explorar o litoral. Aí, a paisagem é alta e escarpada, com pequenas praias abrigadas entre arribas, e muitas que são ideais para o surf. E também aqui há aromas de campo, as ervas de cheiro temperam peixes, mariscos e outros pratos regionais, que se acompanham com excelentes vinhos da região. Porque todo o Alentejo vive ao ritmo da terra.


Algarve

Foi daqui que os Portugueses partiram ao encontro de outros povos e culturas no século XV… e é no Algarve que recebemos grande parte dos que nos visitam sempre com boa disposição. Até no clima, ameno e com muito sol ao longo de todo o ano!

E também com praias de excelente qualidade. Areais a perder de vista, limitados por falésias douradas, ilhas quase desertas que marcam a fronteira entre a Ria Formosa e o mar, ou baías pequenas, aconchegadas pelas rochas. O oceano em todos os tons de azul, quase sempre calmo e cálido, convida a banhos prolongados e à prática de desportos náuticos.

Há ainda a serra. Onde as pessoas vivem em harmonia com a Natureza e mantêm tradições que gostam de partilhar. E as cidades. Silves conserva vestígios do passado árabe e Lagos da época dos Descobrimentos. Mais cosmopolitas, Portimão Albufeira vivem dia e noite cheias de animação. Faro é a porta de entrada da região e Tavira uma montra da arquitetura tradicional.

Para relaxar, muitos campos de golfe premiados internacionalmente. Ou vários tipos de tratamentos nos spas e centros de talassoterapia e nas Termas de Monchique. E hotéis, aldeamentos, resorts, dos mais simples aos mais sofisticados. Uma panóplia variada que tem em comum um gosto genuíno de bem receber.

Trilhos para seguir a pé ou de bicicleta dão a conhecer a região, como a Via Algarviana pelo interior ou a Rota Vicentina por um dos trechos de costa mais bem preservados da Europa. E os passeios de barco são outra forma ecológica de observar a fauna e a flora.

À mesa destacam-se peixes frescos e mariscos, grelhados ou em cataplanas. E os doces de amêndoa e figo… ou o licor de amêndoa amarga e a aguardente de medronho. São como que um pouco do sol do Algarve que podemos trazer connosco.